Beira Mar Koerich Office

Av. Mauro Ramos, 1970 - Centro, Florianópolis - SC,

contato@belmattos.com

Inovar e Engajar é mais simples do que você pensa!

September 23, 2018

     

       Sabe aquela energia que nos invade quando nos encorajamos para fazer algo novo em nossas vidas?

        Você lembra da energia que sentiu quando aprendeu a andar de bicicleta, de roller ou de skate?

        Quando deu suas primeiras braçadas com segurança numa piscina? 

    Quando enfim estava dirigindo e se encheu de coragem para colocar o pé no acelerador e enfrentar uma BR?

      Quem não lembra daquela sensação de se arriscar e se aproximar da pessoa que tanto lhe atraia e dizer o que estava sentindo, para ter a chance de começar ali um relacionamento que valesse a pena?

       Assim como o entusiasmo ao abrir o nosso próprio negócio com todos os desafios que vem pela frente e que nos seduzem mais do que nos assustam, ou aquela alegria de sermos selecionados para trabalhar na empresa em que tanto sonhamos...

 

     Todas essas experiências envolvem emoções que estão relacionadas a momentos de inovação nas nossas vidas. Momentos em que nos desafiamos a ir além.

 

     Muitas pessoas têm a ideia de que inovar está relacionado apenas a tecnologia, assim como muitos ainda acreditam que ser criativo é privilégio de artistas. Só que na verdade todos nós, seres humanos, somos criativos e inovadores na essência.

     

     Ou você nunca teve um problema e precisou sair do óbvio para resolvê-lo?

 

       Na última semana eu vivi duas experiências que me motivaram a escrever esse artigo.

    Uma delas foi a leitura do livro Pense Simples de Gustavo Caetano. Se você se interessa pelo tema inovação, esta é uma leitura realmente inspiradora. A outra experiência foi participar da AeX- Agile Experience 2018, o maior evento de Trade Marketing da América Latina, que aconteceu aqui em Florianópolis semana passada, promovido pela Involves e que eu tive a honra de ser convidada a participar.

 

      Essas duas experiências me ajudaram a sair da rotina, olhar de fora para o cenário que estamos vivendo e tomar consciência desse momento de evolução exponencial em que estamos inseridos aqui e agora em tantas áreas simultâneas.

   

    E amei ouvir que as empresas que vão sobreviver a esse cenário de tantas mudanças, serão aquelas que capazes de inovar sem abrir mão do vínculo humano.

 

  Viveremos um mundo em que independente de um negócio ser virtual ou físico, empresários e empreendedores precisam ter consciência, de que não criaremos relações duradouras com nossos clientes em Pontos de Venda, quem deseja que seu negócio prospere, precisa pensar em Pontos de Experiência.

     

    E os jovens estão ligados nisso, ontem almoçando com meu filho e uns amigos dele, uma jovem de aproximadamente 20 anos que constrói sites, dizia, que ao ser contratada ela sempre questiona quem a contrata para saber que tipo de experiência ele quer que seu usuário tenha ao visitar o seu site? Que tipo de cheiros ele quer que a pessoa se lembre ao ver as imagens? Que emoções ele quer transmitir com as cores que serão escolhidas? Ou seja, o virtual tenta suprir essa necessidade de vínculo através das imagens.

 

     E num negócio físico? Como um empresário pode conquistar e manter clientes inovando na apresentação, no cheiro, na iluminação, na forma com que recebe seu cliente?

 

        Muitas vezes nos confundimos pensando que a Inovação depende da tecnologia, mas na verdade quem provoca transformações são as pessoas. São pessoas que continuarão consumindo seus produtos e serviços e serão pessoas que continuarão fazendo a diferença para o sucesso ou o fracasso de uma empresa.

 

     Se cada vez mais a tecnologia será capaz de armazenar dados e informações, numa escala proporcional, cada vez mais precisaremos de pessoas capazes de analisar esses dados com pensamento crítico e criatividade para resolver os problemas que essas informações nos apontam. Não seremos substituídos por máquinas, o que o futuro espera de nós é que cada vez mais sejamos capazes de utilizar o nosso diferencial humano, que são nossas habilidades cognitivas, nossa criatividade e nossa inteligência emocional, para criar experiências cada vez mais ricas em nossos relacionamentos pessoais e profissionais.

     

      E nesse aspecto, o que você como líder tem feito para estimular o desenvolvimento de sua equipe?

     Ter uma equipe engajada e criativa depende muito das oportunidades que a empresa oferece para que essa equipe cresça e se desenvolva. Estar atento aos talentos que você tem para que não sejam desperdiçados. Prestar atenção às necessidades individuais de cada membro para que cada pessoa sinta que a empresa realmente se preocupa com ela.     

     Dar aos membros de sua equipe a oportunidade de contribuir de forma que eles sintam que suas opiniões realmente contam. Tudo isso faz parte de alguns dos elementos essenciais para gerar engajamento e que na verdade não custam nada para a empresa.

     Quando tratamos de Gestão de Pessoas precisamos entender de gente, compreender o dia a dia de cada profissional, suas dificuldades e alinhar as expectativas dele com as da empresa para conseguir promover o engajamento.

     Muitos líderes e empresários inovadores, já estão atentos à necessidade que seus clientes têm de viver uma experiência quando visitam sua empresa. Para gerar engajamento precisamos que as pessoas que trabalham conosco também tenham experiências positivas no ambiente corporativo.

     

     E não se trata aqui de colocar uma piscina de bolinhas ou uma mesa de sinuca simplesmente, trata sim de fazer com que essa mesa de sinuca ou piscina de bolinha seja realmente utilizada para gerar vínculos entre as pessoas que passam uma grande parte de sua vida trabalhando juntas, convivendo muitas vezes mais com os colegas de trabalho do que com a própria família.

 

     E como líderes precisamos estar atentos a um dado alarmante da Organização Mundial de Saúde, o Brasil é recordista em casos de transtornos de ansiedade, com 11 milhões e meio de pessoas sofrendo de ansiedade ou depressão.

     

     Agora diante dessa informação, pare e pense:

   Como líder, você está criando um ambiente de trabalho que contribui para aumentar essa realidade de Stress, ansiedade e desmotivação, em que que tantas pessoas sofrem por não encontrar um sentido nessa vida atribulada?

   

     Ou você é um líder que está atento ao ser humano por trás da meta? Para que ele possa performar e conseguir resultados porque se sente parte importante de todo o processo e tem uma motivação genuína em se engajar e contribuir para o sucesso da empresa, porque a empresa também está comprometida com ele como pessoa?

 

    Como você pode aproveitar uma época de tanta inovação para manter sua equipe engajada?

 

     Lembra daquelas experiências inovadoras em nossas vidas que eu descrevi no início desse artigo? Você lembra qual foi a primeira vontade que teve quando descobriu ou conquistou algo novo em sua vida? Provavelmente você quis dividir, compartilhar a experiência com outras pessoas! Esse é o nosso primeiro impulso quando inovamos.

 

    Como diz o Psicólogo Martin Seligman, em seu livro Florescer, pesquisas comprovam que os momentos mais felizes de nossas vidas, são aqueles em que temos a oportunidade de compartilhar, em que podemos dividir nossa experiência com outras pessoas.

 

    Então a fórmula para Inovar e Engajar é realmente simples! Junte pessoas para te ajudar a resolver um problema, mostre a elas que você se importa com elas, dê a elas a oportunidade de participar da solução fazendo o que elas sabem fazer de melhor, ouça as ideias que cada uma delas vai te trazer, e as mantenha unidas num propósito que vai além delas mesmas. Faça isso, e você se surpreenderá com o engajamento e as ideias inovadoras que virão!

 

     Claro que existem metodologias para engajamento, e profissionais especializados, que podem contribuir e acelerar o entrosamento do seu time ( inclusive Eu :D ).

     O importante aqui é que se você lidera uma equipe, você saiba que cada vez mais as pessoas se motivam mais quando tem a oportunidade de conectar seu trabalho com aquilo em que acreditam. Ou vai dizer que você não trabalha melhor quando acredita no que está fazendo?

 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload